Alphabet 🇺🇸


We liked the name Alphabet because it means a collection of letters that represent language, one of humanity's most important innovations, and is the core of how we index with Google search! We also like that it means alpha-bet (Alpha is investment return above benchmark), which we strive for! - Larry Page, CEO da Alphabet


A Alphabet é o conglomerado Americano responsável pelo Google e suas várias ex-subsidiárias e uma das empresas mais valiosas do mundo. Em 10 de outubro de 2015, Larry Page publicou o comunicado ''G is for Google''’, anunciando esse Grande Nascimento.


A reestruturação da companhia surgiu para que apostas menores e com muito risco pudessem ser feitas, sem que isso atingisse outras unidades de negócio, como o próprio Google. Já que ainda como Google, Lane e Sergey já conduziam negócios como YouTube, Chrome e Android.


Empresas que escolhem gerencia unidades de negócio independente, com processos, culturas e objetivos diferentes da empresa-mãe são muitas vezes conhecida como “organizações ambidestras’’. Essa estratégia permite ganho de escala escala ao mesmo tempo que é possível se aventurar em ideias revolucionários com liberdade, fertilização cruzada entre iniciativas de inovação e sem a contaminação cruzada que pode colocar em risco a unidade principal de negócio.


Para Page, a Alphabet nasceu com o objetivo de:

  • Fazer coisas mais ambiciosas

  • Adotar uma visão de longo prazo

  • Tornar o Google ainda maior, com o maior foco

  • Melhorar a transparência e sustentabilidade dos negócios

  • Ajudar no desenvolvimento de novos empreendedores e empresas

A Alphabet é assim, um conjunto de empresas, cujo braço mais importante é o Google, mas que tem maior liberdade de desenvolver produtos e negócios que estão longe do escopo do buscador. Atualmente, a Alphabet controla empresas no ramo da biotecnologia e longevidade (Calico LLC), cibersegurança (Chronicle), inteligência artificial (DeepMind), venture capital (GV), incubadora de novos negócios (Xlab) e etc.



Benefícios Secundários da Alphabet

Além dos objetivos explícitos da criação da Alphabet, há duas questões que merecem atenção: a regulamentação antitruste e a nova estrutura acionária da empresa.


Política Antitruste

Através da Alphabet, se torna relativamente mais simples que novos produtos e serviços sejam lançados sem que a regulamentação antitruste seja um problema. Com a nova estrutura corporativa da Alphabet, a empresa pode argumentar que cada empresa possui seu próprio mecanismo de funcionamento e não apresenta um risco de monopólio.


Nova estrutura acionária

Quando a Alphabet nasceu, ações do Google se tornaram automaticamente as ações da Alphabet para os acionista, mas algo fundamental mudou. Na Alphabet, Larry Page e Sergey Brin tem a maioria dos direitos do voto, sem ter a maioria das ações. Assim, os fundadores não correm o risco de sofrer pressão financeira dos investidores para modificar suas visões de negócios


Alphabet e a estrutura Three Horizon

A estrutura Three Horizon of Growth diz respeito a uma estratégia de distribuição de recursos que segue a regra do 70/20/10. 70% dos recursos são gastos para ampliar o negócio principal. 20% são gastos com empresas emergentes. 10% dos recursos são destinados à negócios disruptivos, com muito risco e muito potencial de crescimento.


Se somarmos essa distribuição à visão de que as outras empresas do conglomerado Alphabet podem ser vistos como se fossem opções, no sentido de apontarem uma intenção que não precisa ser necessariamente executada, os novos empreendimentos Alphabet podem ser uma excelente ferramenta de risco. Se elas dão certo, a aposta pode ser muito rentável, se der errado, elas não comprometem uma parcela grande do orçamento e podem deixar de lado os esforços.


Henry Chesbrough, em sua análise sobre a Alphabet, destaca uma caso interessante para ilustrar a gestão do risco dos novos empreendimentos do conglomerado. A Verily, uma das apostas Alphabet, fundada poucos meses após o Grande Nascimento, recebeu um investimento de US$ 1 bilhão da Silva Lake Partners, uma grande investidora de private equity. Caso a investidora tenha um retorno de 10x em 10 anos, a Verily deve valer mais de US$ 20 bilhões. Se o Alphabet for dona de metade do empreendimento, sua participação será suficiente para cobrir a perda total da Alphabet em outras apostas que não o Google.


O exerício imaginativo mostra que mesmo se pouquíssimos dos empreendimentos da Alphabet tiverem sucesso, os poucos que conseguirem se destacar em seus setores - que são todos bilionários-, podem fazer com que a controladora seja lucrativa. Uma gigante do rejuvenescimento? Um monólito da Inteligência Artificial? Cibersegurança? Qualquer um deles são apostas em setores com uma capitalização gigantesca. Se repetirmos o exercício da Verily com qualquer outra aposta da Alphabet, poderíamos vislumbrar o valor do portfólio Alphabet e o baixo risco geral do seu portfólio.




A estrutura do portfólio Alphabet

‘’Usage, revenues later, um “retroacrônimo para “URL”

Eric Poster e Glen Weyl.

Abaixo, algumas das apostas de Larry e Sergey para um portfólio de negócios que provavelmente são os sujeitos de muitas das notícias de disrupção corporativas que vamos ouvir no futuro.


Atualmente, a empresa divide suas apostas em dois grupos. Google e as Outras.


Google – Android, Chrome, Google Cloud, Google Maps, Google Play, Search, and YouTube. O Esse grupo é responsável por gerar receitas com publicidade, vendas de aplicativos, compras no aplicativo, produtos de conteúdo digital e hardware e taxas de licenciamento e serviço. [5]


Outras apostas- Calico, Capital G, Chronicle (atualmente pertence ao grupo acima), DeepMind, Fiber, GV, Jigsaw, Loon, Sidewalk Lab, Verily, Waymo, X e outras. As receitas dessa apostas incluem venda de serviços de internet, licenciamentos e serviços P&D. [5]


Google

“Google is not a conventional company. We do not intend to become one.” [1]

Larry Page, CEO da Alphabet



O Google (GOOGL) continua sendo a maior aposta da empresa, englobando iniciativas como Chrome, Google Home, Google Play e algumas menos conhecidas por enquanto, como a Nest Lab (empresa de hardwares de segurança doméstica)e a ATAP (fábricas inteligentes, radares com controle por gesto e filmes VR).


Aqui, vale a pena relembrar uma curiosidade antiga sobre a empresa. Durante muito tempo, o Google foi uma empresa sem qualquer retorno. O ideal da internet livre, que havia impulsionado o desenvolvimento da World Wide Web impedia que Larry e Brian cobrassem pelo seu serviços. Mas o fluxo de capital de risco investindo na internet estava em explosão para incentivar seja lá qual for o modelo de negócio e a forma de monetização em questão.


O Google continuou crescendo, com uma base de usuários cada vez maior, mas sem qualquer retorno. Depois de um tempo, com todo o serviço sendo disponibilizado gratuitamente, era muito difícil começar a cobrar pelos serviços online. Foi então que o Google recorreu às propagandas para monetizar sem cobrar em dinheiro aos usuários pelo uso, mas em troca da comercialização de seus dados. Por isso, não perca de mente: as apostas são sobre o futuro.


As Outras Apostas


Calico - “We’re tackling aging, one of life’s greatest mysteries”

Fundação: 2013

CEO: Arthur D. Levinson

A Calico é uma empresa de pesquisa e desenvolvimento em biotecnologia, com foco em saúde, bem estar e longevidade. A empresa tem se destacado e levantado polêmica devido suas iniciativas que buscam superar ou adiar significantemente o envelhecimento.


Capital G - “Growth Equity Investment Fund”

Fundação: 2007

CEO: Mor Goldenberg

Empresa de private equity focada em investimento em empresas de tecnologia em crescimento. As apostas incluem: Everlaw, Armis, Unqprk, Applied, Lyft, Stripe, Airbnb, RobinHood, Glassdoor, duolingo e mais.


Chronicle - “Redefining Security Analytics”

Fundação: 2018

CEO: Stephen Gillett

Empresa de segurança digital corporativa focada em utilizar aprendizado de máquina e dados de telemetria para entender malware e desenvolver ferramentas de segurança. No final de 2019, a empresa passou por grande polêmica quando decidiu vincular a empresa ao Google Cloud.


DeepMind

Fundação: 2010

CEO: Demis Hassabis

Empresa de pesquisa focada no inteligência artificial. A empresa desenvolveu o Alpha Go, o primeiro programa de computador a conseguir derrotar o campeão mundial de GO.


Fiber - “ Your internet. For everything”

Fundação: 2010

CEO: Dineshi Jain

A Fiber é uma empresa que aposta no fornecimento de serviços de internet, TV e telefone de alta velocidade, uma aposta contra às empresas de cabo tradicionais.


GV

Fundação: 2009

CEO: Bill Maris

A GV é a parte de investimento de risco da Alphabet. O fundo já investiu em mais de 400 empresas, incluindo nomes como Uber, Lime, Sambanova, Blavity e Slack.


Jigsaw - “A safer internet means a safer world”

Fundação: 2010

CEO: Eric Schmidt

Companhia de P&D focada nos desafios globais de combate ao extremismo digital, censura, ataques cibernéticos e proteção à informação pessoal.


Loon

Fundação: 2013

CEO: Sundar Pichai

Projeto de acessibilidade e aumento do acesso à internet, principalmente em áreas rurais, através de balões.



Sidewalk Lab - “ Reimagining cities to improve quality of life.”

Fundação: 2015

CEO: Dan Doctoroff

Como o nome sugere, a companhia é focada em inovação urbana através de tecnologia. A empresa está trabalhando em um plano de urbanização para remodelar Nova York e um projeto na orla de Toronto.


Verily - “Research is care”.

Fundação: 2015

CEO: Andrew Conrad

Centro de pesquisa em saúde e prevenção de doenças. Um de seus primeiros projetos foram as lentes de contato inteligentes que podem monitorar os níveis de glicose de um usuário.


Waymo - ‘’We’re building the World’s Most Experienced Driver.”

Fundação: 2009

CEO: Nathaniel Fairfield

A Empresa começou como parte da X e se tornou uma unidade separada, focada no desenvolvimento de carros autônomos. Em parceria com a Lyft, a Waymo começou a testar seus serviços em Phoenix.


X - “The Moonshot Factory”

Fundação: 2010

CEO: Astro Teller

O X é laboratório focado em, segundo eles, resolver os maiores problemas da humanidade. A empresa é responsável por desenvolver soluções malucas e inovadoras como fazendas no oceano (Tidal), drones para serviços de entrega (Wing), sistemas sustentáveis de armazenamento de energia (Malta) e mais.




Forças Alphabet:

  • Reconhecimento de Marca: qualquer uma das iniciativas Alphabet se beneficiaram do reconhecimento de marca e confiança do próprio Google

  • Inovação Contínua: a herança do Google é o investimento em pesquisa para a disrupção dos mercados (entre 2013 e 2017, a empresa registrou 186 patentes só na área de saúde). As apostas da Alphabet podem desfrutar de muita pesquisa para o desenvolvimento de inovações contínuas.

  • Finanças em dia: o Alphabet é uma empresa que gera uma receita ĺíquida forte e uma capitalização monstruosa. Por isso, suas subsidiárias podem se beneficiar de investimentos e fluxo de capital para os primeiros anos de seu desenvolvimento.

  • Mercado Internacional: o nome Google é reconhecido em qualquer lugar do mundo. Assim, as apostas Alphabet já são lançadas como marcas internacionais, com pouca dificuldade para transitar entre diferentes parte e culturas.


Fraquezas Alphabet:

  • Dependência geográfica: apesar da variedade de iniciativas, grande parte delas estão nos Estados Unidos. O país representa quase 50% da sua receita. Mudanças econômicas e sociais nesse mercado são arriscados, principalmente se considerarmos o que temos visto com o covid-19.

  • Posição fraca na indústria de celulares e redes sociais: os dois setores continuam a crescer de forma expressiva, mas a Alphabet não tem posição relevante em nenhum dos mercados.

  • Dependência da receita dos anúncios: a publicidade continua sendo a maior fonte da Alphabet, representando quase 90% da receita da empresa. As questões legais sobre privacidade e proteção de dados os usuários pode incitar grandes problemas para sustentabilidade de longo prazo da empresa, já que ela precisa vender esses dados.


Conclusão:

Considerando todas as discussões acima, as apostas da Alphabet, encabeçadas por Larry Page

e Sergey Brin parecem fortalecer o conglomerado, posicionando-o como a maior empresa de tecnologia, em diferentes setores. Todas as apostas Alphabet são baseadas em negócios e ideias inovadoras que podem provocar grande mudança nas empresas e vida das pessoas em todo o mundo. E sem dúvida alguma, algumas delas conseguiram chegar lá.


''Todos os modelos estão errados, mas alguns são úteis".
George Box
Não perca as disrupções
que pertubam a economia ðŸ›Žï¸
​
🧠política 🚀liberdade ðŸ¤‘trocas  ðŸ¤¯filosofia

Disruptivas

E agora? ðŸ¤” 
Entre em contato e me conta 
suas ideias 
rafaela@rromano.org
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Twitter
medium.png
Conteúdo